Costa do Sol,

quinta-feira, agosto 18, 2022
spot_img

Leia a nossa última edição #08

spot_img

Transporte sustentável: 67% dos ciclistas de Cabo Frio usam bicicleta como principal meio de transporte, afirma UFRJ

Mais lidas

- Advertisement -

Em Cabo Frio, 67,2% dos ciclistas utilizam a bicicleta como principal meio de transporte. A média do município cabo-friense é maior do que a nacional, que é de 51,2%. Isso é o que mostra a terceira edição da pesquisa sobre o perfil de ciclistas urbanos, lançada nesta quinta-feira (10) pela organização Transporte Ativo e pelo Laboratório de Mobilidade Sustentável (LABMOB) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A pesquisa foi realizada em Cabo Frio por agentes da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, com apoio da Secretaria Adjunta de Licenciamento e Fiscalização. Ao todo foram ouvidos 738 ciclistas, do dia 23 de setembro ao dia 11 de novembro do ano passado.

As entrevistas aconteceram no Centro, São Cristóvão, Praia do Forte, Jardim Esperança, Boca do Mato, Gamboa, Jacaré, Jardim Caiçara e Tamoios, entre outras localidades. O objetivo foi mostrar as principais tendências do deslocamento por bicicleta no cenário do município.

De acordo com a sondagem, 84% dos ciclistas cabo-frienses pedalam cinco dias por semana, enquanto que a média nacional é de 72,5%. Outro destaque é o tempo de deslocamento. De acordo com a pesquisa, 73,7% dos ciclistas de Cabo Frio levam até 30 minutos no principal percurso; 40,7% utilizam a bicicleta combinada a outro modo de transporte; e 52% dos ciclistas que participaram da sondagem têm idade entre 25 e 34 anos.

A pesquisa mostra ainda que 68,7% dos ciclistas cabo-frienses usam a bicicleta para se locomover para o trabalho; 49,4% para fazer compras; 53,8% socialmente; e 17,6% para ir à escola ou faculdade. O levantamento indica ainda que, na pandemia da covid-19, 50,1% das pessoas alteraram a rotina para andar de bicicleta; e 36,8% aumentaram o deslocamento com a bike.

Dos entrevistados, 35,8% afirmaram que os motivos que os levaram a pedalar foi a saúde; 28,9% foi devido a rapidez e praticidade; e 22% o custo. Com relação ao estímulo para andar mais de bicicleta, 48,3% afirmam que a infraestrutura é importante para aumentar as pedaladas; e 23% afirmam que a segurança no trânsito também é um fator importante.

Para o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Jefferson Buitrago, a pesquisa coloca Cabo Frio em uma posição estratégica em relação às bicicletas como meio de transporte.

“Temos trabalhado na captação de recursos e investimentos em ciclovias e bicicletas compartilhadas. Para isso, é fundamental coletar dados sobre mobilidade ativa no município. Além disso, estamos trabalhando na sinalização horizontal e vertical de todas as ciclovias e ciclofaixas do município, de forma a garantir segurança e respeito aos ciclistas no trânsito. O transporte ativo é uma realidade cada vez mais presente no município e, no Brasil, seu custo de manutenção é baixo. Além disso, é um transporte saudável e sustentável. Temos muito para avançar e estamos trabalhando para isso”, afirma Buitrago.

Além de Cabo Frio, participaram da pesquisa: Belém, Botucatu, Brasília, Campo Grande, Campos dos Goytacazes, Ilhabela, Maceió, Mogi das Cruzes, Niterói, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

- Advertisement -

Últimas noticias

- Advertisement -